Låne Penger | Halpa Läppäri | Kredittkort Bonus | Månedlig Spotpriser | Beste Tyverialarm 2019 | Båtforsikring | Billigste Telefonabonnement 2019 | Prisvurdering av Bolig
Loading...

Tendências de redes sociais para ficar de olho

12 de abril de 2019 - Destaque, Notícias em Geral

Tendências de redes sociais para ficar de olho

 

Novas tendências de redes sociais estão sempre surgindo para acompanhar as mudanças de comportamento dos usuários e mercado no meio digital. Sendo assim é preciso estar sempre de olho nas novidades para manter estratégias efetivas no online.

As redes sociais estão sempre em busca de oferecer a melhor experiência para os usuários, com o objetivo de promover a produção de conteúdo e engajamento.  E para conseguir engajar o público e posicionar a marca de forma certa é preciso estar presente nessas plataformas.

Confira algumas tendências de redes sociais que vale a pena considerar em seu planejamento de marketing digital.

Influenciadores e microinfluenciadores

O Instagram e o YouTube são as redes sociais que mais deram visibilidade para as figuras de influenciadores digitais. São plataformas que trabalham muito com produção de conteúdo em imagem e proporcionam muito engajamento.

Os influenciadores são usuários que se destacam nas plataformas com seu conteúdo. Eles conquistam o público, seja pelo carisma ou pela expertise em alguma área, e formam uma audiência qualificada.

Desde 2015, cada vez mais as marcas procuram essas figuras de influência digital para transmitir suas mensagens, em um formato diferente de publicidade. Mesmo tratando-se de conteúdo comercial, a aceitação do público costuma ser muito melhor, por receberem o conteúdo de uma persona que confiam e atribuem credibilidade.

Os influenciadores possuem audiências de milhões de pessoas, falam com um público mais amplo e têm muito alcance. Por exemplo, o jogador Neymar, com 113 milhões de seguidores no Instagram, e Whindersson Nunes, maior youtuber brasileiro com 35 milhões de inscritos no YouTube.

Com o crescimento dessa área de atuação, os influenciadores ganharam uma subcategoria: os microinfluenciadores. Eles possuem um público menor, segmentado e com alto engajamento. O alcance é grande, mas dentro do nicho que trabalham.

Não tem uma faixa exata de seguidores para essa categoria, dependendo muito do segmento. Por exemplo, podem ter de 5 mil seguidores a 100 mil. O retorno do investimento em conteúdo de microinfluenciadores pode ser muito positivo e geralmente é mais fácil o preço deles encaixar no orçamento.

A tendência dos vídeos 

YouTube

O YouTube é a rede social favorita dos brasileiros, sendo a plataforma onde gastam mais tempo. Essa preferência é um indicativo da força dos vídeos para os usuários do país. Nos últimos quatro anos, o consumo de vídeos cresceu 135% por aqui.

O apelo visual do vídeo é maior e exige menos esforço do público do que, por exemplo, a leitura de um texto em blog. Mais do que tendência, o conteúdo em vídeo está consolidado. O que surgem são novos formatos, linguagens e recursos para utilizá-los. Além disso, é preciso ter em mente que um vídeo para o YouTube tem duração e linguagem diferentes de um vídeo para o Instagram, não dando para simplesmente refazer o corte e postar em várias plataformas.

Para se ter um bom engajamento no YouTube, o conteúdo precisa ser mais denso e com maior duração. Vídeo curtos não desempenham bem na plataforma porque o YouTube prioriza tempo de exibição para mostrar o conteúdo em resultados de pesquisa e seções como Vídeos Sugeridos.

Instagram

Já no Instagram existem três possibilidades: Stories, Feed e IGTV. Nos stories é possível criar uma boa linha de storytelling e hoje em dia tem mais engajamento do que o feed. É indicado trabalhar os recursos de interação que a ferramenta oferece.

No Feed do Instagram, os vídeos poderiam durar no máximo um minuto, mas com uma nova tentativa de impulsionar o IGTV isso mudou. Agora é possível compartilhar no feed prévias de vídeos postados no IGTV, independente da duração. Nesse caso, podem apenas vídeos verticais, nas dimensões de stories.

Facebook

Finalmente, ainda há entre as plataformas mais populares o Facebook. No final de 2018, a rede social lançou o Facebook Watch, seção dedicada apenas a vídeos. Nela, os usuários podem compartilhar e assistir conteúdo com os amigos simultaneamente. Com isso, o Facebook tentou a tendência dos vídeos em redes sociais para trazer mais audiência, visto que a plataforma tem perdido usuários no último ano.

O crescimento do Linkedin

O Linkedin surgiu como uma rede social profissional para buscar oportunidades de emprego e procurar por funcionários. Porém, hoje a plataforma concentra muito conteúdo de qualidade sobre o mercado. Como resultado, tornou-se uma mídia para troca de experiências e insights.

Cada vez mais os profissionais de marketing digital tem explorado o Linkedin. Isso porque diversos setores profissionais são abordados, o que capta uma audiência que é a mais variada possível.

Em razão disso, a rede social também vem trabalhando seu algoritmo para impulsionar as publicações. Com isso, ficou mais amigável para as empresas.

 

Bruna Andrade

Referência: Rock Content

LEIA TAMBÉM

Nota Oficial
Secretário do Governo Federal defende papel dos empresários no desenvolvimento do país
O peixe que veio do frio

Newsletter

Você vai adorar interagir com a gente, prometemos!

Newsletter - Acif

Aguarde...