Conheça as formas de resolver seus problemas através
de mediação, conciliação e arbitragem

Veja os principais documentos:

Regimento Interno
Regulamento de conciliação e mediação
Regulamento da Arbitragem

MEDIAÇÃO

A Mediação é uma forma de solução extrajudicial de controvérsias em que o terceiro Mediador (ou mediadores se mais de um) tem a função de aproximar as partes, para que elas negociem diretamente a solução desejada de sua divergência.

A Mediação mantém o poder decisório com as próprias partes conflitantes. Constitui-se em recurso eficaz na solução de controvérsias originadas de situações que envolvem diversos tipos de interesses. E o processo é confidencial e voluntário, em que a responsabilidade pela construção das decisões cabe às partes envolvidas. Diferente da arbitragem e da Jurisdição Estatal, em que a decisão caberá sempre a um terceiro.

Os recursos técnicos da mediação são utilizados, inclusive, como estratégia preventiva, promovendo ambientes propícios à colaboração recíproca, com o objetivo de evitar a quebra da relação entre as partes. Sua aplicabilidade abrange todo e qualquer contexto de convivência capaz de produzir conflitos.

CONCILIAÇÃO

A Conciliação é uma forma de solução extrajudicial de controvérsias em que o terceiro Conciliador (ou conciliadores se mais de um) exerce a tarefa não só de aproximar as partes desavindas, mas SUGERE e PROPÕE soluções, esforça-se para levá-las a um entendimento que ponha fim ao conflito, ou à sua expectativa.

É um processo voluntário e pacífico de resolução de controvérsias, que cria um ambiente propício para as partes se concentrarem na procura de soluções criativas e, como na mediação, sua aplicabilidade abrange todo e qualquer contexto de convivência capaz de produzir conflitos.

ARBITRAGEM

No processo arbitral, as partes têm autonomia para definir praticamente todos os detalhes. A quantidade (sempre ímpar) e o nome dos árbitros, o local em que se dará o processo, os procedimentos e as regras a serem usados no processo, se será uma arbitragem de direito ou de eqüidade, e o idioma em que se desenvolverão os trabalhos (em caso de arbitragem internacional).

O processo arbitral é mais complexo que a mediação e a conciliação, mas ainda assim, é bem mais simples que o processo judicial. Por lei, a decisão deve sair em no máximo seis meses do início do processo, e a decisão arbitral tem valor de sentença – deve ser cumprida.

Conheça as Vantagens

Celeridade

Seu problema resolvido de um a seis meses, muito mais rápido que o processo judicial.

Economia

Além da economia do tempo, há economia de valor, com custo-benefício mais vantajoso que o processo judicial.

Sigilo

Informações tratadas com sigilo, diferentemente do processo judicial em que as informações são públicas, exceto quando as partes decidirem o contrário.

Flexibilidade

Poder de decisão de qual procedimento seguir para a resolução do seu conflito.

Confiança

Para criar uma atmosfera de cooperação, você pode escolher uma pessoa (que deve ser aceita pelas duas partes) para realizar seu procedimento.

Segurança

Métodos com poder legal para substituir o processo judicial, os procedimentos de mediação, conciliação e arbitragem são legítimos relativos a direitos patrimoniais disponíveis.

MAIS INFORMAÇÕES

secretariacbmae@acif.org.br  |  (48) 3084.9400